SETEMBRO AMARELO

 

O fato é o seguinte: a pandemia pegou todos de surpresa, mudou rotinas, estabeleceu novas regras, virou o mundo de ponta cabeça e é claro, deixou marcas em toda nossa sociedade.

      Isso gerou uma mudança de comportamento e nos colocou em situações que ninguém esperava passar, desde a senhora que não podia mais se encontrar com suas amigas para a quarta do baralho, ou aquela banda que tocava toca as sextas no barzinhos, até a rotina da família que agora precisa fazer home office com os três filhos em casa!

      E no meio dessa crise de saúde e política, a gente fica mesmo sem saber o que fazer, ou como agir, até mesmo como aguentar esse momento que não parece muito longe do fim. O fato é que mudanças sempre fizeram parte da humanidade, nós que não estávamos preparadas pra tudo isso. Mas a verdade é a seguinte, será que alguém está realmente preparado? Existe um plano B para uma situação dessas? Ou um plano para qualquer situação que não esteja sob nosso controle? A minha singela opinião é que ninguém está preparado, independente da situação, ainda mais depois de quase dois anos de pandemia. Muitas pessoas se saem melhor que as outras, mas no fundo, somos humanos, temos sentimentos, reações, nossos corpos respondem cada qual a sua maneira, e essa é uma realidade que nós temos que aceitar.

      Nesse momento, nada melhor do que falar um pouco do que o Setembro Amarelo representa, principalmente em meio a uma crise que vem afetando tantas pessoas. Setembro é o mês da prevenção ao suicidio, mas esse é um assunto que deve ser discutido durante todo o ano, ainda mais nesse momento de incertezas. Depressão, ansiedade, abuso de substâncias, esses são os principais fatores que levam ao suicidio no Brasil. São assuntos delicados, mas que estão cada vez mais presentes no nosso dia-a-dia, porque todos passamos por fases, alegrias, tristezas, problemas na família, problemas com nós mesmos, ninguém está imune aos sentimentos. O momento é de termos mais empatia, mais paciência e ter a certeza que nada é pra sempre, o importante é ter resiliência para viver em dia de cada vez, mantendo os pensamentos bons lá no alto e reconhecendo que todos precisamos respirar fundo e aguentar firme! E não ache que você é o único que não está conseguindo entender o mundo, ou o mundo não consegue te entender.

      Separamos músicas que falam exatamente sobre essa ansiedade, angústia, solidão, sensações que mexem com nossa sensibilidade e que nossos cantores e músicos preferidos já sentiram. Sim! Todos estamos dispostos a passar por adversidades, e sem dúvidas a música é uma forma de amenizar e ajudar a relaxar e manter a cabeça no lugar. Essas músicas falam exatamente desses momentos difíceis, em como esses artistas conseguiram expressar sentimentos que fazem parte das nossas vidas e como é possível dar a volta por cima e recomeçar!

 

A música da banda de Dave Grohl viralizou novamente durante a pandemia, a letra que diz “em tempos como este você aprende a viver e amar de novo” é um retrato de como devemos nos manter resilientes durante períodos difíceis. Uma nova versão cantada por 23 artistas em suas casas devido às restrições, entre eles Dua Lipa, Chris Martin, 5 Seconds of Summer, Rita Ora, Ellie Goulding. Esse cover do Foo Fighters foi gravado para mostrar a importância de nos mantermos firmes para conter o avanço da doença.


 

Essa música do trás empoderamento e relisiencia, a começar pelo áudio de um amigo de Emicida, que passou por uma fase de depressão e não sabia se conseguiria superar seus problemas. Nesse momento, a voz de Belchior da todo sentido com a brilhante citação da sua canção "Sujeito de Sorte", que se encaixa perfeitamente no arranjo. "Ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro", além de fazer uma analogia ao pério de pandemia que estamos vivenciando, retrata que mesmo quando não vemos a solução logo de cara, não podemos nos deixar abalar, devemos ter esperanças de dias melhores, pois o novo sempre vem.


 

A música é sobre quem vem passando por crises de medo, ansiedade e depressão e pede ajuda para que consiga passar por esses momentos. A letra retrata experiências próprias do cantor e que a maioria das pessoas vivem, principalmente os adolescentes que são o público alvo de Shawn Mendes.


 

A cantora fala abertamente sobre seus transtornos mentais e como vem tratando os altos e baixos desde a sua infância e usa sua música para “buscar ajuda e superar todos os problemas com os quais eu e meus fãs estamos lidando”. A letra da música fala sobre como devemos aceitar os momentos difíceis que estamos passando e que está tudo bem não se sentir bem toda hora, somos humanos e as coisas às vezes não estão no nosso controle.


 

Essa letra traz várias reflexões sobre os sentimentos de culpa, de amargura, momentos em que você acha não ter saída. A letra foi inspirada na experiência do vocalista Isaac Slade como tutor de um jovem viciado em crack, ele retrata os desafios vividos no processo de recuperação do jovem e todo sofrimento envolvendo o abuso de substâncias.


 

A canção de Rihanna traz uma complexidade de sentimentos que insistimos em ignorar. Por mais que pareçamos felizes e bem, lá no fundo não conseguimos ser mais fortes para resolver nossos problemas e muitas vezes eles são incompreensíveis aos que estão ao nosso redor. Ela fala da confusão em compreender o que está sentindo e como isso reflete nas coisas que fazemos.


 

A letra fala dos altos e baixos que passamos e como são esses momentos de fragilidade que nos tornam mais fortes e resistentes. A música da banda Metallica cita “O que não te mata te torna mais forte”, mesmo vivendo dias e noites de sofrimento, são essas marcas e cicatrizes que nos deixam mais fortes e que devemos persistir e não desistir.


 

A banda traz nessa letra a reflexão de alguém que vivia sem esperança e que mesmo passando por momentos difíceis, conseguiu se perdoar e seguir em frente. Por mais perdido que você esteja, nunca é tarde para quem realmente acredita e todos podemos recomeçar.


 

A letra retrata um período de depressão da própria cantora após o término de um relacionamento, que a deixou muito abalada. Mostra como muitas vezes deixamos de nos amar e transformamos a mágoa e a dor em algo que invade nossos sentimentos. Por mais que fiquemos abalados, devemos ter em mente que vamos superar as adversidades e seguiremos nosso caminho e vamos encontrar aquela luz no fim do túnel.


 

Essa música retrata o sentimento de dor e angústia que Eric Clapton sofreu quando perdeu seu filho. Ele demonstra na letra toda a dor e questionamentos que são feitos quando perdemos alguém de forma inesperada e como podemos fazer para sobreviver a momentos de dor e como seguir em frente mesmo quando estamos sem chão.

Pague com
  • PagHiper
Selos
  • Site Seguro

AUDIODRIVER INSTRUMENTOS MUSICAIS E ACESSORIOS EIRELI - CNPJ: 11.813.064/0001-28 © Todos os direitos reservados. 2021


Para continuar, informe seu e-mail

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência em nosso site. Para saber mais acesse nossa página de Política de Privacidade